Uncategorized

A importância do sombreamento no conforto térmico de vacas leiteiras

Parte II

As arvores são capazes de aproveitar nutrientes que estão em camadas do solo fora do alcance das raízes das forrageiras e colocá-los à disposição dessas plantas quando as folhas, galhos secos, flores e frutos caem no chão, além de fixar nitrogênio atmosférico no solo se esta for uma leguminosa, funcionando, assim, como adubo natural;

“As arvores são capazes de aproveitar nutrientes que estão em camadas do solo fora do alcance das raízes das forrageiras.”

O equilíbrio ecológico é bastante favorecido pela manutenção de matas ou bosques, já que sua remoção provoca a morte ou fuga de inimigos naturais de diferentes pragas das pastagens, resultando no aumento da população de insetos daninhos.

O problema causado pelas cigarrinhas é um exemplo típico da quebra do equilíbrio biológico causado pela remoção excessiva da vegetação natural, quando da implantação das pastagens;

A obtenção de madeira para uso na fazenda diminui os custos das cercas ou pode servir para venda da madeira, aumentando assim a fonte de renda da propriedade.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DAS ÁRVORES PARA SOMBREAMENTO

São estas:
– copa frondosa e alta: mínimo de 3 metros, superfície de sombra mínima de 20m² e copa alta para diminuir a incidência de bernes.
– folhas persistentes em todas as estações do ano;
– não possuir raízes que afloram a superfície;
– não produzir frutos grandes;
– não possuir princípios tóxicos;
– bom desenvolvimento vegetativo, mínimo de 0,5m por ano;

“Algumas das características das árvores para sombreamento são: copa frontosa e alta, folhas persistentes em todas as estações do ano e não possuir raízes que afloram a superfície, frutos grandes ou princípios tóxicos.”

– ser rústica e resistente à seca e ao frio;
– fácil obtenção de mudas e adaptadas à região.

PRINCIPAIS ESPÉCIES INDICADAS PARA REGIÕES DO BRASIL

As principais espécies indicadas para algumas regiões do Brasil são:
– Canela Sassafrás (Ocotea pretiosa): resistente ao frio e à seca, projeta até 10 metros de sombra.
– Gameleira (Ficus sp): cresce em todo o Brasil, copa ultrapassa 10m.
– Copaíba (Copaifera langsdorffi): frutos comestíveis para o homem e os animais e dela se extrai o óleo de copaíba, de uso medicinal.
– Sapucaia (Lecytis pisonis): resistente ao frio e à seca.
– Mangueira (Mangifera sp): muito usada nas pastagens no Sul de Minas, principalmente a variedade que produz a manga Ubá. Esta manga tem a vantagem de ser pequena, pois frutos maiores que 5cm engasgam os animais.
– Mulungu (Erythrynas sp): frutos carnudos para alimentação humana e animal.

“A obtenção de madeira para uso na fazenda diminui os custos das cercas ou pode servir para venda da madeira, aumentando assim a fonte de renda da propriedade.”

– Sete Cascas ou Corticeira (Ptecolobium inopinatus): muito difundida em toda a região dos cerrados, tem frutos e vagens comestíveis. A cortiça que envolve o caule impede a transpiração da planta, fazendo-a reter água para aproveitamento durante a seca.

E, ainda para aproveitar essas vantagens da arborização de pastagens, deve-se atender algumas condições, tais como:
– usar forrageiras tolerantes ao sombreamento (B. decumbens, B. brizantha e cultivares de Panicum maximum);

“Para aproveitar essas vantagens da arborização de pastagens, deve-se usar forrageiras tolerantes ao sombreamento (B. decumbens, B. brizantha e cultivares de Panicum maximum) e usar espécies arbóreas com arquitetura favorável (com raízes profundas e as que tenham capacidade de fixar nitrogênio).”

– usar espécies arbóreas com arquitetura favorável (com raízes profundas e as que tenham capacidade de fixar nitrogênio).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nos sistemas de produção de leite sustentável para obtenção de índices produtivos e reprodutivos satisfatórios, devem-se levar em consideração todos os fatores envolvidos na produção, seja ele, nutricional, sanitário ou de bem estar dos animais, sendo que neste caso, o sombreamento nas pastagens, pode auxiliar em todos os quesitos da produção e da preservação do meio ambiente.