Uncategorized

Suplementação Mineral para Gado de Leite

Quando se fala em desempenho animal, devemos lembrar que os ruminantes necessitam de água de qualidade, proteína, energia, vitaminas e minerais, fazendo com que o produtor atingia o índice máximo de produtividade. Em relação ao gado a pasto, temos que ressaltar a importância dos minerais na dieta total, já que a maioria das pastagens brasileiras é de baixa qualidade e pobre em minerais, não atendendo as exigências nutricionais dos animais.

A composição mineral da forragem depende de vários fatores, tais como clima, solo, espécie forrageira, maturidade da planta e principalmente a manutenção da mesma. Por estes fatores, faz se necessária à suplementação mineral. Mesmo nos dias de hoje, ainda encontramos muitas propriedades, principalmente de pequeno porte, que ainda não adotam o manejo de suplementação mineral, dando-se principalmente por falta de informação, gerando um desconhecimento da importância do mesmo para o desempenho animal, afetando não somente as funções produtivas, mas também a reprodutiva.

Importância dos Minerais

A mineralização das vacas tem como prioridade aumentar a produção e melhorar a qualidade do leite, reduzindo a contagem de células somáticas a partir da melhoria da sanidade animal, além da diminuição do intervalo entre partos.

Os minerais são considerados essenciais para a vida do animal, onde são classificados em Macrominerais (Cálcio, Fósforo, Magnésio, Potássio, Cloro, Sódio e Enxofre) e Microminerais (Ferro, Zinco, Manganês, Iodo, Selênio, Cobre, Cobalto e Molibdênio) em função da quantidade.

Cada elemento exerce uma função de vital importância para a vida do animal, porém um dos fatores de maior impacto na produção leiteira é a relação entre Cálcio e Fósforo, onde os mesmos tem que obedecer uma relação de aproximadamente de duas partes de Cálcio para uma de Fósforo. Essa relação pode ser mais alta conforme orientação de um Zootecnista. Os dois elementos representam 70% do total de minerais no corpo do animal, onde 90% estão presentes nos ossos e dentes. O Cálcio também participa em grande quantidade na composição do leite, regulagem dos batimentos cardíacos e coagulação sanguínea. Já o Fósforo participa também na absorção dos carboidratos e na manutenção dos microrganismos do rúmen.


Deficiência Mineral

Um dos maiores problemas na produção de leite a pasto é a deficiência de Fósforo, uma vez que os altos níveis de Alumínio e Ferro acentuam a deficiência do mesmo por formarem complexos insolúveis. Os principais sintomas da deficiência são: redução de apetite, ocasionando perda de peso, fraqueza generalizada, redução da produção de leite, ganho de peso e conversão alimentar, baixos índices de fertilidade e depravação do apetite levando o animal a mastigar pedras, madeiras, ossos, terra e outros, onde poderá ingerir ossos infectados com Clostridium butulinum e com formação de toxina durante o processo de putrefação, desencadeando um quadro clínico de botulismo e morte do animal.

A deficiência de Cálcio e Fósforo causa uma doença chamada Raquitismo, ou seja, má formação dos ossos em animais jovens, apresentando inchaço nas juntas e engrossamento das extremidades dos ossos, arqueamento do dorso e enrijecimento das pernas, podendo em casos mais agudos, apresentar joelhos curvados e pernas arqueadas. Já no caso de animais adultos causa a Osteomalácia, onde o Cálcio e o Fósforo são retirados dos ossos sem que ocorra reposição, tornando-os mais fracos e quebradiços, facilitando então o aparecimento de fraturas. A exigência desses minerais são maiores no final da gestação e durante a lactação.

Suplementação Mineral

Atualmente existe uma gama de produtos comerciais para atender as exigências nutricionais do gado Leiteiro, independente da fase produtiva em que o animal se encontra, tanto na forma de núcleos, onde o mesmo é inserido na formulação do concentrado, quanto na forma de sal mineral que será fornecido separadamente no cocho. A localização do cocho de sal deverá ser estratégica, facilitando o acesso, tanto para o animal, quanto para o vaqueiro, com fornecimento constante de sal mineral, evitando a chamada “síndrome do cocho vazio”.

A melhor forma de obter bons resultados com a suplementação mineral é solicitar uma visita técnica para avaliação da propriedade, indicando assim o produto que mais se adéqua a realidade da atividade.

Para saber mais acesse lactag.com.br e descubra como podemos ajudar você e sua propriedade para maior produção de leite.